Método Pilates nas Lombalgias:

04/08/2016

Por: Fisioterapeuta Gabriela Fonseca

Muitos portadores de dores crônicas têm buscado terapias complementares, sendo o Pilates um dos métodos procurados. Pilates é um método de exercício físico programado para condicionar e relacionar o corpo e a mente, corrigir desequilíbrios musculares, melhorar a postura e tonificar o corpo.   Em especial, nos quadros de lombalgia, o método apresenta - se eficaz na  maioria dos casos.

Lombalgia são todas as condições de dor, com ou sem rigidez, localizadas na região inferior do dorso, em uma área situada entre o último arco costal e a prega glútea. A dor lombar tem causas congênitas, degenerativas, inflamatórias, infecciosas, afecções traumáticas, ou ainda por fatores variados, como estresse, ansiedade, má postura, sedentarismo e tensão emocional.

A lombalgia, dentre as patologias osteomioarticulares, merece destaque devido a sua alta incidência, sendo considerado um problema de saúde publica. Estudos demonstram que 60% a 90% da população adulta sofrerão em algum momento de sua vida com dor lombar, tendo predileção por adultos jovens, sendo uma das principais razões por afastamento do trabalho.

O principal objetivo do Pilates é fortalecer o núcleo do corpo, que corresponde à região situada entre os quadris e o osso esterno. Os músculos centrais incluem os músculos dorsais, os músculos adutores, os ílio-psoas e quatro camadas de músculos abdominais. Esses músculos trabalham em conjunto para sustentar a coluna vertebral, o que, por sua vez, promove a boa postura e melhora do equilíbrio muscular. Uma vez que o método Pilates fortalece uniformemente os músculos centrais, a estabilidade da coluna lombar torna-se mais eficaz podendo assim, aliviar os sintomas da lombalgia.

Um dos princípios fundamentais do método é a respiração, através da qual, o músculo transverso do abdômen é acionado na expiração forçada, o que resulta no aumento da pressão intra-abdominal gerando uma pressão visceral na face anterior da coluna, contrária a lordose lombar contribuindo assim para a diminuição da dor, devido à  manutenção da curvatura lombar em uma posição mais fisiológica.

A abordagem fisioterapêutica com o método Pilates, ministrada através de um programa personalizado de estabilização muscular, treinamento específico da musculatura profunda, alongamento e mobilidade contribui positivamente para o tratamento da instabilidade lombar.

 

 

 

 

 

 

 

Desenvolvido por: SH Marketing Digital